quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Coisas da vida 01


São fofos... 
24 de setembro de 2018

Minha esposa e eu temos o hábito de caminhar de tarde aqui no bairro em que moramos. Na verdade vamos caminhar mais no fim de tarde, e dessa maneira recebemos um bônus de poder contemplar o pôr do sol. Que maravilha!

É fantástico poder ter visão para compreender e dar valor à pequenos detalhes que surgem em nossas vidas.

Seguimos a caminhada conversando sobre muitos assuntos e revelo a vocês que comento com a minha esposa sobre os inúmeros e-mails dos leitores que recebo; falamos sobre a vida, sobre a saúde, enfim... assuntos do dia a dia.

Eu percebo que conversar sobre a vida é algo que me dá uma enorme alegria. Me faz despertar novas ideias. Me motiva.

Logo após uns cinco minutos de caminhada aproximadamente, chegamos próximos a uma bela praça, com belas árvores, palmeiras altas, e cercada de flores, em especial uma planta chamada estrelícia (nome científico Strelitzia reginae), para quem não conhece, a estrelícia é uma planta muito bela com folhas verdes duras, e com uma flor em formato linear de cor laranja. Essa é a planta preferida da minha esposa.

A praça pela qual passamos é realmente aconchegante, em seu formato circular rodeada de árvores ela traz uma tranquilidade para o florescer de bons pensamentos.

Nossa passagem pela praça não dura muito tempo, pois a caminhada é longa, e como dizem os preparadores físicos e especialistas, uma caminhada deve durar pelos menos quarenta minutos para começar a nos trazer efeitos positivos à saúde, pois, quarenta minutos aproximadamente é capaz de reduzir a pressão arterial durante 24 horas após o término do exercício, além de outros benfícios.

Ao chegarmos próximos do centro da praça, encontramos quase sempre dois amigos que apelidamos carinhosamente de "boneco" e "boneca".

Vou começar a descrever o mais alto, ou melhor, a mais alta, a "boneca". Com os pêlos em cor marrom, ela possui umas orelhas pontudas, olhos castanhos, e deve ter aproximadamente uns cinquenta centímetros de altura, e seu peso deve ser de mais ou menos uns quarenta quilos. Meiga e muito, mas muito atenciosa, a "boneca" é um amor de quatro patas, sempre querida e sobre tudo companheira.

Já o nosso baixinho, rs, o "boneco", esse é uma faísca, sempre ligeirinho e do jeito dele. Também é marrom, com olhos castanhos, um focinho curtinho e com aproximadamente uns quarenta centímetros de altura, já o peso eu creio que seja algo próximo de uns vinte e cinco quilos.

É fato! Basta passarmos pela praça e lá vem eles, os nossos companheiros de caminhada, o "boneco" e a "boneca", o boneco fica todo alvoraçado e pula na minha calça, e fica me rodeando, um "pestinha", rs, como se diria antigamente; mas confesso, um "pestinha" no bom sentido da palavra. A boneca já é toda meiga, chega de leve com aquele olhar singelo cheio de amor para dar. Ela é com toda certeza uma "boneca" sem dúvida. Dois cachorros encantadores.

É claro que apelidos assim tão angelicais não teriam partido totalmente da minha iniciativa; tá... eu até dei um toque na sugestão, mas quem apelidou mesmo, foi a minha esposa, aliás ela ama cachorros. Acho que puxou ao pai nesse sentido, às vezes brincamos que qualquer hora o meu sogro irá montar uma ONG.

Mas enfim...

Seguimos caminhando por volta de cinquenta e oito minutos, e eles, o "boneco" e a "boneca" permanecendo ao nosso lado, e o mais interessante, não nos pedem nada em troca, damos carinho sem eles pedirem, algumas vezes levamos ração sem eles pedirem, brincamos com eles sem eles pedirem. É um sentimento puro no meu ver.

O carinho que esses animais prestam a gente deveria servir de estudo, pois, é algo que transcende a compreensão habitual, aliás, vou mais além, é algo que não conseguimos compreender, pois na atualidade, e espero não estar exagerando, até o "amor" (coloquei entre aspas por considerar não ser um amor real), é usado como moeda de troca.

Terminamos naquele dia a caminhada como sempre, nos despedindo deles na praça, com a esperança de vê-los em breve.

Os dias seguem o seu curso e neles precisamos fazer a nossa parte, e para quem já pesou cento e dez quilos quilos e perdeu vinte, não dá para ficar sem praticar algum exercício físico, e hoje mesmo (no dia em que escrevo essa carta), eu fui caminhar sozinho, pois a minha esposa estava atendendo uma cliente.

Como sempre fui me aproximando da praça, cabisbaixo pensando sobre os compromissos da semana, até que apareceu a "boneca"! Foi uma alegria só! Caminhamos por cerca de quarenta minutos até que de repente mais tarde, quando já estávamos voltando, encontramos o "boneco", foi demais!

O boneco é daquele tipo que quando chega, ele chega marcando presença, quer total atenção para ele, mas depois de uns três minutos ele se acalma e quer ser o guia do passeio.

Eu sempre gostei de animais, de uma maneira geral, mas cada vez mais eu os observo, pode parecer estranho, pode até parecer irracional da minha parte, mas em muitas situações, eles os animais, tem muito a nos ensinar.

É sabido que caminhar faz bem à saúde, mas você poder caminhar e ainda contar com uma troca imensa de energias positivas, nos deixa melhor ainda. É incrível.

Por fim, hoje mesmo li uma rápida notícia no twitter que dizia: "Pokémon Go - ajuda a esquecer problemas, diz criador do game".

Acho que eles ainda não descobriram o "boneco" e a "boneca".

Bons pensamentos a todos e até a próxima.

Um grande abraço,
Fernando Lapolli
Pensar bem faz bem!



Mais Coisas da Vida

0 comentários:

Postar um comentário

↑▲ FAVOR COLOCAR O SEU NOME NO FINAL DO COMENTÁRIO.